De tudo quanto lemos na internet acerca dos recrutadores europeus e americanos, a certeza que temos é a de que ninguém quer mais um candidato sem perspectiva, que esta buscando o trabalho só para se manter vivo, embora nos dias hoje praticamente boa parte da população esteja exatamente nessa fase, sobrevivência.

Chegamos a seguinte conclusão, a luta por um espaço no mercado de trabalho é maior do que parece. O candidato além de ter conhecimento e experiência na área na qual ele vai trabalhar, ainda precisa reunir outras várias características, ter humor, criatividade, objetivos, saber exatamente o que quer para sua carreira, onde quer chegar, ter opinião, confiança em sua capacidade, que valorize a vida fora do trabalho, cuidar para não ser arrogante ou pretensioso, em síntese, a humildade para ouvir e responder… Por fim você ainda dependerá da mentalidade e experiência do seu recrutador.

Mentira em CV

A mentira tem perna curta” – velho ditado.

Conforme estudos Robert Half, essa é uma das maiores razões da eliminação de75% dos candidatos.

E podemos dizer que isso não ocorre somente no Brasil, mas até mesmo em países de primeiro mundo. Entendemos que o mercado hoje está muito competitivo, e muitas vezes o candidato acha que acrescentar ou exagerar um pouco, uma ou outra coisa, uma mentirinha básica, incrementará seu CV, sem nenhuma consequência. Um Head Hunter, ou mesmo um recrutador comum, saberá reconhecer de imediato as incongruências de um CV. Dependendo da gravidade, já pode ser descartado de cara, ou na primeira entrevista. Importante lembrar que estamos em fase de 13 milhões de desempregados e que os recrutadores recebem, a cada nova vaga, um cem número de currículos. Numa primeira visão, eles buscam um motivo para eliminar do processo. Detectada uma mentira, pequena ou grande, ai estará à razão que buscavam para a exclusão.

Mentir só lhe trará péssimas consequências.

Caso seja selecionado, e achar que suas “mentirinhas” que o ajudaram não se alegre, caso sua competência não seja comprovada, provável que seja demitido.

Tanto no Brasil, como no exterior a maioria dos recrutadores se conhecem, e logo sua reputação será conhecida pela pior forma. Não pense que não descobrem. Hoje, existem ferramentas de mídias que em pouco tempo, eles descobrem suas intenções!

Essas são as mentiras mais comuns:

  • Experiência de trabalho;
  • Estudo ou graduação;
  • Habilidades técnicas;
  • Idioma;
  • Trabalhos anteriores;
  • Habilidades de liderança;
  • Estágios;
  • Habilidades em gerenciamento de projetos;
  • Salários anteriores; etc.

Em estudo feito a candidatos e recrutadores portugueses apurou aquilo que realmente importa numa candidatura.

“No seu mais recente estudo, a empresa de recrutamento Michael Page entrevistou 564 candidatos e 25 consultores de recursos humanos em Portugal para desvendar aquilo que procuram os recrutadores nos currículos de quem se candidata a uma entrevista de emprego. Estão também, dicas para saber aperfeiçoar a formatação, estrutura e conteúdo do currículo. Entre as diferentes opiniões sobre o tema, há apenas um fator que reúne consenso: Os erros gramaticais podem ser um autêntico ‘tiro no pé’.”

A pesquisa é muito interessante, pois aborda a visão de consultores e candidatos. Analisa, por exemplo: o que o candidato acha mais importante para seu CV, e o que o consultor acredita que fortaleça o CV.

Os dois grupos foram praticamente unânimes em relação da importância, do uso de palavras chaves, quando da descrição das experiências profissionais.

https://www.dinheirovivo.pt/outras/galeria/868127/

Estudo feito nos Estados Unidos

Esse estudo já mostra um novo outro olhar, muito interessante dos novos recrutadores:

https://www.forbes.com/sites/lizryan/2017/10/07/ten-things-i-look-for-in-a-job-candidate/#7c5276a71730

Deixe uma mensagem