Com o nível de desemprego altíssimo, muitas pessoas, no desespero de não ter como sobreviver com um mínimo de dignidade nesse país, procuram por trabalho fora no país.

Para trabalhar em Portugal, ou qualquer outro país de Europa, você tem dois caminhos: trabalhar legalmente e ilegalmente.

No primeiro caso, se você tem a cidadania europeia, você não teria nenhum problema em morar lá, alugar sua casa, colocar seus filhos na escola, a maioria dos seus problemas estaria resolvidos, ou ter um visto de trabalho, a única dificuldade seria achar um emprego e adaptação cultural.

No segundo caso, trabalhar ilegalmente: essa é uma situação bem difícil, pois tudo será difícil, pois não terá os mesmos direitos que do cidadão nacional. Já vi muita gente que vai com visto de turista, e acham que podem trabalhar lá. Lembrem-se vocês esta legal como turista não como trabalhador.

Se você pensa realmente em trabalhar e viver fora, inicie aqui no Brasil seu processo de busca de emprego, pois já ter um emprego lá facilitaria toda a sua mudança de vida.

O que você precisa fazer para que esse sonho não vire pesadelo. Qualquer viagem que você faça não tem que se preparar? A de viver fora é uma viagem mais longa com muito mais comprometimento: mudança de vida, assim seu preparo tem que ser muito maior.

Faça a sua lição de casa, estruture-se quanto mais preparado melhor será:

Se não tem o suficiente, junte um valor suficiente para ter no mínimo uma vida simples por seis meses.

O seu visto de turista em Portugal com em vários outros países em outros países valem por 180 dias, depois poderá pedir mais 180 dias, nesse ínterim se conseguir seu emprego, tudo estará arranjado. Caso contrário você passa a estar ilegalmente no país.

Sem querer assustar, mas os índices de deportados tem aumentado na Europa, Portugal nos últimos anos, teve um grande acréscimo:

“De acordo com dados do Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo, no ano de 2016 foram emitidas 5470 notificações para abandono voluntário do território nacional. No ano anterior foram 4027. O pico da última década foi em 2010, ano em que foram emitidas 7425 notificações de saída”.

‘Considere os custos de moradia, internet, luz, agua, condomínio, nas cidades que você pretende fixar sua residência. Lembrando que você que não tem dupla cidadania, não terá os mesmos direitos do nacional. Em caso de médico, escolas você terá que bancar com seu dinheiro.

Foque nos países que você gostaria de viver, analise as diferenças culturais, como e o sistema trabalhista, os valores de salário, a língua, e se possível às leis do país.

Os brasileiros preferem sempre Portugal pela língua, mas será muito importante de no mínimo você ter um inglês suficiente para fazer uma entrevista. Então esse se torne um item obrigatório: fundamental falar inglês.

Lisboa por exemplo é uma cidade cosmopolita, que quase você ouve mais inglês do que a própria língua.

Veja as diferenças culturais, se você realmente se adaptaria.

Procurem vagas nos sites de empregos. Interessante contratar uma agência de emprego, eles tem e sabem exatamente onde buscar uma vaga para você. São empresas multinacionais, que tem experiência na recolocação de profissionais.

No planejamento inclua cursos, da língua do país que você escolheu, gestão de pessoas, congressos, que melhorem mais seu CV, em uma rápida busca de vagas, você já pode perceber o que eles exigem pra sua competência.

Preparem o seu curriculum, na forma que eles apreciem, (existem modelos na Internet – http://europass.cedefop.europa.eu/pt/documents/curriculum-vitae

Seja flexível, nem sempre num primeiro momento aparece à vaga no mesmo padrão que você tinha aqui.

Procure saber para quais vagas que estão sendo mais procuradas no mercado, e, em quais os mercados existem mais ofertas.

Posto isso, diria não se desanime, apenas prepare-se!

Existem países na América do Sul ótimos para viver, e com muitas vagas de emprego, Chile por exemplo. A maioria dessas vagas está no Linkedin

http://vagaspelomundo.com.br/vagas/2017/08/chile-tem-mais-de-45-mil-vagas-de-emprego-abertas/

https://ec.europa.eu/eures/public/pt/homepage

Sapo – emprego.sapo.pt
Empregos online – www.empregosonline.pt
Empresso Emprego – expressoemprego.pt
Carga de Trabalhos – www.cargadetrabalhos.net
Alerta Emprego – www.alertaemprego.pt
Bolsa de Emprego Público – www.bep.gov.pt
Trabalhar.com – pt.trabalhar.com
Ofertas de emprego – www.ofertas-emprego.com
Net Empregos – www.net-empregos.com
Bons empregos – www.bonsempregos.com
Universia – www.emprego.universia.pt

http://europass.cedefop.europa.eu/pt/documents/curriculum-vitae

Deixe uma mensagem